Featured Posts

Que abordagem escolher?

Olá.

Tenho muitos clientes em potencial que questionam qual abordagem devem seguir e para quê. A maioria confunde Coaching e Psicoterapia e não sabe muito bem para que servem ambas as abordagens nem onde quer chegar com elas.


Primeiras questões: Você quer reorganizar sua vida, modificar hábitos e comportamentos, simplesmente? Ou encontra-se em um estado disfuncional, envolvendo (ou sugerindo) transtornos de humor e ansiedade (depressão, bipolaridade etc.)? Essas são as perguntas-chave a se fazer antes de dedicar-se um tempo junto a um bom psicoterapeuta ou coach.


Se respondeu sim à primeira pergunta, procure um coach. O Coaching trabalha para derrubar crenças limitantes, organizar estratégias para atingir metas e objetivos na vida, na carreira ou no negócio, utilizando (ou desenvolvendo) recursos que o coachee (cliente de coaching) já possui. O processo não aborda o passado do cliente/ negócio, mas vai partir de seu estágio atual, de aprendizados, conhecimentos e limitações, para seguir em direção ao ponto onde se pretende chegar. Isso em um prazo curto, na média de três meses de trabalho.


No Coaching de Vida ou carreira, para alguns talvez pareça ridículo que seja necessário o auxílio de um coach para realizar mudanças que dependam exclusivamente de um esforço individual. Mas muitas vezes o indivíduo não exerga as etapas necessárias para isso nem o seu potencial de transformação. O Coach chega para clarificar essas coisas e acompanhar esse processo, agindo como facilitador e motivador.


As linhas de trabalho em Coaching são variadas: Life, Business, Executive, Wellness... podem seguir métodos e teorias apoiadas na Ontologia, na Programação Neurolinguística e na Psicologia Positiva, entre outros.


Já a Psicoterapia depende de um diagnóstico médico ou psicológico, e utlizará estratégias psicoterapêuticas para promover cura ou alívio de sofrimentos e sintomas que o problema diagnosticado possa estar causando. É tratamento aplicado por psicólogos, psiquiatras e terapeutas sem formação em Psicologia ou Medicina, mas que devem ter base sólida de teoria e prática clínica nas abordagens que se dispõem a praticar.


As linhas psicoterápicas são muitas: Psicoterapia de orientação psicanalítica, analítica; terapia cognitiva, terapia comportamental, psicoterapia cognitivo-comportamental. Há também o psicodrama, a gestalt-terapia e a psicoterapia humanista e a humanista-existencial.


Vale uma observação: Há quem considere o setting terapêutico da Psicanálise uma psicoterapia, mas há quem discorde e considere a Psicanálise uma abordagem específica, filosófica, mais voltada ao autoconhecimento, e sequer a indique para tratar transtornos de ansiedade e humor. Uma questão de ponto de vista...



Recent Posts